24 de abril de 2016

Minha inspiração

Inspiração é uma coisa estranha. Do jeito que ela chega, pode partir. Há algum tempo eu não sentia vontade de escrever, não tinha o prazer de colocar as palavras na ponta dos dedos, de deixar o pensamento fluir, de falar sobre algo que amo, que acredito, que faz parte de mim. 

Até Superman aparecer novamente nas telonas com o novo filme "Batman vs Superman: A origem da Justiça". Pronto. Aquela vontade incontrolável de fazer parte de algo com os meus pensamentos, minhas palavras, voltou com força. 

A cada entrevista do elenco que eu assistia, especialmente de Henry (o meu segundo Superman, só perde para Chris), a cada texto de fãs, a cada opinião de pessoas que como eu, amaram o filme, ou até mesmo daqueles que não gostaram (mas foram respeitosos na forma de se expressar) a minha vontade de participar, escrever, falar só crescia. 

Foi então que escrevi este texto "O Superman que eu vi" aqui no blog. Foi o primeiro passo para voltar a sentir o prazer da escrita, de ser capaz de expressar meus sentimentos e meu carinho por este personagem que faz parte da minha vida desde que eu me conheço por gente! rsrsrs...

Mas eu ainda tinha mais a falar, a inspiração continuou e ao ler uma crítica do filme, resolvi dar uma opinião sobre o assunto, só que em inglês. A barreira do idioma havia sido quebrada. Foram apenas alguns parágrafos (leiam aqui), mas foi bom receber o feedback que recebi. E com isto, encontrei o meu lugar.

Lugar que ontem, recebeu mais um texto "My Superman". E tenho certeza, será o primeiro de muitos, porque Superman sempre será uma inspiração para mim. Ele tem sido desde o dia em que Christopher Reeve me fez acreditar que o homem podia voar.

Kisses, Ludy

8 de abril de 2016

Arrow - 4x16; 4x17; 4x18;


Oi gente!!!! Demorei horrores para vir aqui comentar sobre os últimos três episódios de Arrow, então nem vou me prolongar muito.


4x16

Desde o começo eu não gostei desta história de fake wedding. E sinceramente, não gostei deste episódio. A única cena que amei foi a dos votos de Oliver para Felicity. #perfeição

Foi sincero, foi de coração aberto e mesmo sendo no fake wedding, ele estava falando o que sentia, como Diggle pediu. Foi o que ficou para mim deste episódio. Nunca me cansarei de rever esta cena. "You are my always".



4x17

Curtis comandou este episódio. Foi sensacional vê-lo fazendo parte do Team Arrow. Adorei a interação dele com Lance, amei a referência de Harry Potter de Oliver para o team, a reação da Thea, a zoação do Diggle com isto.

Como sempre Mama Smoak chegando e arrasando. Gostei também das cenas de Laurel e Oliver e do fato da Thea ter interagido mais com a Felicity.

O que eu não gostei, da postura da Felicity. Desde o episódio anterior ela está muito fora do que realmente é. Eu entendo perfeitamente a mágoa com Oliver (que ela tem todo o direito de ter, e desde que toda a mentira do William começou sempre estive contra isto), mas algo na personagem está fora do lugar desde o 4x16 e eu não estou gostando.

4x18

Caramba!!! Fiquei o episódio inteiro nervosa e com medo que a tal morte bombástica.

Desde que a season 4 começou, as especulações não pararam e eu não imaginava que os autores de Arrow teriam coragem de matar a Black Canary, mas eles o fizeram.

Eu confesso que foi difícil não me emocionar desde o momento em que Dahrk fere Laurel até a hora em que o episódio se encerra com Quentin sofrendo com a notícia no corredor do hospital.

Eu nunca gostei da BC interpretada pela Katie Cassidy, preferia mil vezes o que ela fazia como advogada, acho que os autores exploraram pouco disto. Mas acho que é uma pena que a personagem tenha sido tirada da história, por ela ser quem era nos quadrinhos, pela importância que ela tem como heroína.

E por isto entendo a tristeza e a dor dos fãs em ver sua personagem amada saindo assim. Mas digo o seguinte, foi um lindo episódio para Laurel e BC. Ela deixou o mundo sabendo que aqueles ao seu redor a amavam e que o que ela fazia, importava. E podem ter certeza isto faz toda a diferença na hora de se despedir do seu personagem favorito em uma série ou filme. Acreditem. Palavra de uma fã do Superman que sofre toda vez que lembra do final de Batman vs. Superman: a origem da justiça.

Enfim, veremos agora como a morte de Laurel vai afetar a todos, especialmente Diggle, que está se sentindo mega culpado por não ter confiado em Oliver quando ele desconfiou de Andy. É de cortar o coração.

Para encerrar, Stephen Amell arrasou na cena dele com Katie... Foi lindo. Impossível a gente não se emocionar.



Agora só saberemos como tudo será, a partir do dia 27 de abril, já que entramos no último hiato da temporada antes da reta final da season 4.

Kisses, Ludy

5 de abril de 2016

O Superman que eu vi em "Batman vs. Superman: A origem da Justiça"

Batman vs. Superman está na sua segunda semana de exibição nos cinemas e só agora eu venho aqui escrever sobre o que achei do filme. Na verdade, não farei análise técnica, porque não sou especialista. O que quero abordar mesmo é a parte do filme que mexeu comigo, ou seja, Superman. 

Portanto, se vocês não assistiram ainda, melhor não continuarem, pois comentarei com alguns spoilers importantes. E já aviso, aqui quem fala é uma fã, alguém que ama Superman desde sempre, alguém que acredita que ainda há sim espaço no mundo para pessoas que querem fazer o bem, para humanos que se inspirem ao ver um personagem como Superman. 

Então vamos lá... Up Up and away... 

Muitas pessoas que conheço, pessoalmente ou apenas via internet, se chocam ao descobrirem que eu amo Superman. Geralmente elas argumentam assim: “Mas ele é alienígena, não sofre, não morre, é um personagem tão chato!”. 

E toda vez que eu escuto isto me dá preguiça de contra-argumentar porque estes argumentos para mim são rasos. Superman é um personagem complexo e cheio de esperança. Ele é sim um alienígena, mas ele escolheu ser humano, ele sofre sim, porque ama e ele morre sim, como ficou claro para quem viu BvS. 

Quando Supes se tornou filme pela primeira vez, em 1978, o mundo para o qual ele foi trazido à vida nas telonas era outro, era um lugar que aceitava o bem de coração menos armado, era um mundo que via o próximo com mais compaixão e amor. Este mundo não existe mais e alguém que represente isto não é bem visto, então há quem ache Superman chato, porque “as pessoas odeiam o que elas não entendem” citando o que Martha disse a Clark. 

E é através deste ódio contra aquele que tenta fazer o bem, que vemos o personagem sofrer durante Batman VS. Superman. E nem digo a dor física, mas sim aquela que atinge os sentimentos. Clark/Kal-El/Superman não consegue entender o motivo do mundo que ele escolheu proteger, que ele decidiu que seria a sua casa, que ele ama como o seu, rejeitá-lo. E como qualquer humano, ele sofre, reflete sobre isto e tenta fazer o melhor que pode para superar esta rejeição. 

O problema é que nada do que ele faz adianta, pois o mundo (do filme e da realidade), não percebe que todos os sentimentos que Superman tem dentro dele fazem parte do que o torna tão parecido com a gente. Que por conta de todas estas dúvidas e questionamentos existenciais, ele, criado por humanos e amado por uma humana, é sim, humano. E o mais importante, por escolha. 

Por isto gostei de Batman vs. Superman, pois foi um filme que falou mais sobre os personagens e seus sentimentos falhos ou não, suas motivações do que apenas do enfrentamento físico. A “briga” entre os dois principais durante todo o filme jamais foi de poder ou força, mas de ideais, princípios. 

Para mim o filme mostrou como dois homens vindos de mundos completamente diferentes, com vidas totalmente distintas e criações tão opostas, podem, no fundo, querer a mesma coisa: proteger o mundo. 


Bruce Wayne/Batman depois de tantos anos de luta está cansado e sem esperanças de que os homens bons permaneçam assim, mas continua lutando para proteger quantos puder porque é o que ele sabe fazer. Só que para o defensor de Gotham, proteger o mundo veio de uma experiência traumática, a perda dos pais. 

Do outro lado temos Clark Kent/Superman, alguém que está se descobrindo como herói, mas que enxerga na humanidade a esperança necessária para fazer o mundo melhor, que tem em Lois amor e apoio incondicionais, que tenta fazer o bem porque este foi o ensinamento que seus pais humanos, lhe deram. Para Clark, proteger o mundo veio de uma experiência de amor, sentimento vindo de Jonathan, Martha e Lois. 

E acredito que talvez seja por isto que muitas pessoas rejeitem Superman no mundo atual (no filme e na realidade), elas não entendem o poder e a capacidade de amar de Clark, porque talvez tenham medo de se permitirem amar como Superman faz, sem exigir nada em troca. 

Mas mesmo sem esta reciprocidade de sentimento, Clark se sente impotente por ver o mundo o enxergando como um vilão, quando sua única intenção é proteger a todos. Então o que ele faz? Procura abrigo e força nas palavras das pessoas que ama e que o amam de volta, Martha, sua mãe, e Lois, sua namorada. E até mesmo em seu pai, através do sonho. 

E daí eu pergunto: como é possível que as pessoas não se conectem com isto? Quem são aqueles que você procura quando está triste, perdido, se sentindo arrasado por problemas da vida, por situações difíceis? Quem são as pessoas que te apoiam quando mundo te dá as costas ou quando você está no fundo do poço? A resposta é simples: sua família, seus amigos, seus amores. 

E se fazemos isto, por que Superman também não pode fazê-lo? O que há de errado em admitir que mesmo aquele ser mais poderoso fisicamente tem seus momentos de fraqueza e precisa da ajuda de quem ele ama? 

Para exemplificar melhor porque Superman é um personagem com o qual a gente pode sim se identificar, uso uma frase que eu amo, que foi dita pela Lois Lane em “Adventures of Superman Volume 1 #640 – Julho 2005”, e resume bem quem é este super-herói: “Você olha para o Superman e fica imaginando, o que ele tem para se preocupar? O que pode machucá-lo? Mas só porque a pele dele é impenetrável, não significa que o coração dele seja. E é assim que você machuca o Superman. Você machuca o coração dele”. 

Não há citação mais perfeita para explicar Superman em BvS e em qualquer universo do que esta. O coração que se importa com os humanos e vê neles a esperança de um mundo melhor, o coração que ama sua mãe como a pessoa mais preciosa, o coração que tem em Lois Lane o amor de sua vida, o seu mundo, como ele mesmo disse antes de se sacrificar para salvar um planeta que não merecia tamanho sacrifício. O coração. A parte do nosso corpo que ama, sofre, pulsa, como o dele. 

Outra parte do filme que eu gostaria de comentar é luta contra o homem-morcego. Confesso que foi muito difícil assistir à forma como ele foi quase derrotado por Batman, porque enquanto Bruce queria matá-lo, Superman escolheu não fazer o mesmo, algo que ele poderia fazer facilmente, se quisesse. No momento mais difícil, quando estava prestes a ser derrotado, Superman suplicou pela vida de sua mãe, jamais pela dele. Ele agiu por amor, escolhendo a vida da pessoa que lhe fez mais humano do que muitos propriamente humanos. Assim como escolheu a vida de Lois e das pessoas do mundo, ao sacrificar-se na luta contra Doomsday. 

Tudo isto mostra a beleza e a bondade de um personagem que por vir de outro planeta, por ter poderes que poderiam destruir o mundo, por ser quase imortal, ainda assim escolhe fazer o bem, escolhe proteger, escolhe amar. Sempre. 

E se depois disto você ainda acha que ele é chato, com quem não consegue se conectar, ou que merece morrer (como vi em muitos lugares na internet e até no próprio cinema, o que só comprova o que o filme disse o tempo todo), então eu realmente acho que não há mais nada que eu possa dizer. 

A verdade, é que para mim, Superman sempre será uma fonte de inspiração, um personagem com o qual poderei me identificar e em Batman VS. Superman, a mensagem final comprova isto quando Bruce em seu monólogo conclui: “Os homens ainda são bons. Nós lutamos. Nós matamos. Nós traímos uns aos outros. Mas nós podemos reconstruir. Nós podemos fazer melhor. Nós faremos. Nós temos que fazer”. 

Estas palavras repletas de esperança vindas daquele que no começo do filme era o personagem mais sem fé no lado bom do ser humano, assim como o fato dele não ter deixado sua marca em Lex Luthor na cena da cadeia, comprovam o alcance da bondade e da crença de Superman na humanidade. Ele fez Bruce Wayne voltar a acreditar que um mundo melhor é possível.

Como Martha Kent sabiamente disse: “Seja o herói deles, Clark. Seja o anjo deles, o monumento deles, seja o que eles precisarem que você seja... ou não seja nada disto. Você não deve nada a este mundo. Você nunca deveu”. 

E ela estava certa porque na verdade, o mundo é que deve a ele, e o filme deixou isto bem claro: “Se você procura por seu monumento, olhe a sua volta”.


***

Comentários aleatórios: Tudo de Clois foi uma perfeição. Tudo, não há o que dizer. Jamais esperava pelo que vi e fiquei maravilhada com a forma como o relacionamento de Clark e Lois foi retratado. A cena da banheira, ele se despedindo dela antes de morrer, o anel de noivado, tudo.

Adorei a presença da Wonder Woman e para minha surpresa, curti esta versão de Lex Luthor. Também adorei o Alfred e é claro, Ben Affleck como Batman, embora tenho amado mesmo o que ele fez com Bruce Wayne.

Bom, acho que é isto. Já falei muuuuuuuiiiiito!!! Encerro com estes gifs de Henry, pois eles me representam e muito!




Kisses, Ludy

5 de março de 2016

Contando os dias...

Como faz para dar conta da ansiedade que estou por conta deste filme?!

Henry personifica com perfeição o quão forte Superman deve ser.


Kisses, Ludy

26 de fevereiro de 2016

Arrow - 4x15


Oi gente!! Este post era para ter saído ontem, mas eu estava decidida a não fazê-lo desde quarta após o episódio 15 por um único motivo. Odiei tudo o que vi. 

O pior episódio de Arrow que já assisti porque teve o pior enredo possível: Baby Mama. Então fiquei desmotivada para vir aqui falar sobre algo que detestei.

Só que resolvi falar, não estou contente com o que vi, mas vamos lá...



Vamos começar com o que gostei do episódio? E teve tal coisa? Ah sim, teve, Vixen. Definitivamente amei a participação dela, ainda mais da forma como ela acabou com os poderes de Damien Dahrk. Momentaneamente é óbvio, porque isto não deve ser para sempre.

Continuando, teve mais alguma coisa que gostei? Não, não teve. 

O que não gostei? Tudo!!!!! Episódio feito para justificar a mentira de Oliver para Felicity. Trama usada só para ter drama e fazer Olicity terminar.

Entendam bem, eu não me importo em ver uma separação de Oliver e Felicity, só detestei a forma que encontraram para fazer isto, usando Baby Mama.

Na verdade, muitas coisas me irritaram neste episódio e vou listá-las abaixo:

- Thea acha certo mentir para Felicity, mas fica bravinha quando Malcolm mente para ela? #sei...
- Oliver apresentou Samantha para todo mundo na Lair, menos para quem deveria. #Okay...
- Samantha sendo uma chata, insuportável e se achando dona da situação... #irritante
- Samantha perto de Felicity e vindo dizer que foi a culpada por Oliver mentir para ela. 
- William, menino chato e que AGORA gosta do Green Arrow né?
- Ninguém. Absolutamente NINGUÉM se importando em saber como a mentira de Oliver magoou Felicity. Isto porque são amigos. Imagina se eles não fossem...
- Aquela cena da separação. Desculpem-me, mas achei off. Não senti emoção ali, algo estava faltando e não sei o quê. Na verdade, senti de Felicity, mas não de Oliver. Queria que tivesse sido diferente.
- Para encerrar, Felicity andando assim tão rápido, como se nada tivesse acontecido? Ok, sei que a tecnologia de Curtis é brilhante, mas por favor né? Como alguém que está há quase três meses sem andar simplesmente levanta perfeitamente, sem sequer tropeçar, cair? Não gostei disto. Sei que era para mostrar que ela estava andando e para longe de Oliver, mas por favor...

Eu ainda poderia ficar aqui falando sobre um monte de coisas mais que não gostei, mas vou encerrar citando e comentado a frase de Felicity para Oliver quando eles se separaram...


Não Oliver você não está tentando, porque tentar significaria ter contado para Felicity sobre William quando você teve a segunda chance. Sim, foi Samantha quem te obrigou, mas a escolha em aceitar foi sua. Você poderia ter achado uma outra saída e preferiu mentir.

Não me entendam mal, eu simplesmente amo Oliver e Felicity. Amo. Ela é minha personagem preferida e ele está logo em segundo. Amo Arrow, defendo a série com unhas e dentes, mas esta história da Baby Mama foi péssima. Poderiam ter achado trocentas milhões de outras formas para separar o casal.

Felicity foi a pessoa que menos teve importância para os autores neste episódio, quando deveria ter estado abaixo só do drama do sequestro. Foi para ela que Oliver mentiu descaradamente nos últimos meses. E o que vimos no episódio? Ela sequer recebeu apoio de ninguém, foi traída naquilo que mais a fere, confiança. E ninguém se importou em ver como ela se sentia. Até Laurel teve uma cena sobre como estava se sentindo, mas Felicity não.

Eu não tenho dúvidas de que ela fez o certo em romper e está ainda mais correta quando diz que "casamento é inclusão, é confiar no seu parceiro quando as coisas ficam difíceis". Oliver ainda não está preparado para isto, para dividir uma vida com alguém, ele precisa tentar mais, porque não foi o suficiente.

Espero de verdade que os autores escrevam a reconciliação deles de uma forma aceitável, porque a separação foi um fiasco.

Olicity é endgame, tenho certeza, mas quero que Oliver lute e mereça voltar para Felicity. Ele precisa provar para ela que pode sim confiar e ela precisa se permitir confiar nele novamente. 

Este tempo que Felicity quer é porque ela precisa se encontrar (sem ele), assim como ele (sem ela), para que no final, eles se encontrem um no outro. #synchronicity 

Para encerrar, indico o texto (link aqui) que mais representa o que eu penso de toda a situação de Olicity depois deste episódio! Vale muito a pena ler. #perfeito

****

Agora vem um hiatus. Próximo episódio de Arrow só dia 23 de março.


Kisses, Ludy

22 de fevereiro de 2016

Henry Cavill Asks Kids: Batman or Superman? // Omaze

Este vídeo é a coisa mais adorável que eu já vi de Henry Cavill, gente!!! Tô simplesmente in love! Vou parar nunca de ver. Sem estruturas para tanta fofura!!!

Estas crianças são lindas de morrer e as duas menininhas do começo foram duras na queda com Henry! hahahaha... Amei!!!



Kisses, Ludy

18 de fevereiro de 2016

Arrow - 4x14


Code of Silence foi um nome bem propício mesmo, porque realmente parece que este episódio foi uma forma dos autores de Arrow justificarem a atitude inaceitável de Oliver com esta mentira sobre William para Felicity.


O episódio teve ótimas sequências de ação, cenas belas e tocantes de Donna e Felicity Smoak, o surpreendente e lindo presente de casamento de Curtis para Felicity, um foco maior no relacionamento de Lance e Donna, o sequestro de William por Damien Darhk (fico pensando o que ele fez com Samantha para ela ceitar isto. Coisa boa que não foi...), mas sinceramente, tudo o que foi feito e dito entre os personagens foi uma justificativa dos autores para passarem a mão na cabeça de Oliver com relação a esta mentira sobre a existência de seu filho para Felicity.

E o auge disto para mim foi quando Thea confrontou Oliver e eles conversaram sobre William. Sinceramente, é de se desapontar que Thea tenha passado a mão na cabeça do irmão. Logo ela, a maior vítima de mentiras desta série, por parte da mãe, do irmão, de Roy e de Malcolm. Todas estas pessoas esconderam dela informações que a deixaram passar por momentos horrendos e ainda assim, ela aceita e justifica a atitude de Oliver, uma informação importante que ele está escondendo da mulher com quem ele vai se casar. A mulher com a qual ele deveria dividir tudo.

Sinto muito, mas eu simplesmente não consigo aceitar esta trama. Não tenho nem sequer, pena da situação em que Oliver se encontra e quero muito, mas muito mesmo que ele sofra as consequências do que tem feito.

Não é admissível que ele minta para Felicity. Ela não é apenas a mulher da vida dele, ela é a parceira de missão, com quem desde o começo ele vem defendendo Star City, lutando contra forças do mal, com quem ele construiu parceria, amizade, confiança, lealdade, amor. E agora, por conta de uma outra que simplesmente aceitou ser chantageada e paga com a mesma moeda, ele coloca tudo isto a perder.

Não me entendam mal, eu compreendo a necessidade dele querer ficar perto da vida do filho, mesmo que a criança não saiba quem ele seja, mas não, eu não aceito a forma como ele tem feito isto. Ele poderia lutar contra a chantagem de Samantha de outra forma.

Gostaria de saber que diferença fez Thea saber? Samantha sabe que ela sabe? Claro que não, nem saberia se fosse com Felicity.

Desculpem o texto grande e sem gifs por hoje, mas apesar de ter sido um bom episódio, eu simplesmente não consegui curtir como deveria. A mentira que Oliver com tanto orgulho protege custará caro para ele, e sinceramente, eu não tenho pena do sofrimento que ele enfrentará. E o fato do episódio ter sido uma justificativa para que ele continue mentindo para a mulher que ele ama, descaradamente, a mulher com quem ele está prestes a se casar, me fez não gostar do resultado final do episódio.

****

Semana que vem é separação, tenho certeza que Felicity sairá magoada, arrasada, se sentindo traída, mas sairá com a cabeça erguida. E teremos Vixen, gostei!!! A série dela em desenho foi bem bacana e vê-la na TV, na realidade, será ainda mais legal.


Kisses, Ludy

14 de fevereiro de 2016

Arrow - 4x13


Oi gente! Deveria ter feito esta postagem na quinta, mas sinceramente, não gostei muito deste episódio e fui desanimando de escrever sobre ele.

Mas de qualquer forma, farei algo bem The Flash, só para não dizer que não tive o que comentar...



Vamos começar com o que não gostei neste episódio? Que na verdade foi tudo. 

Flashbacks - horrendos, como sempre! E a atriz que contracena com o Stephen, pelo amor!!! #semcomentários

Nyssa e "meu marido"...


Queria bater nela toda vez que ela mencionava isto. Outra daquelas histórias que os autores inventaram na season 3 que não serviram para nada. Só para nos atormentar agora.

E sabe o que é pior? Como se anula o que aconteceu em Nanda Parbat? Agora que a Liga não existe mais o casamento foi anulado? Porque por favor... como eu detesto que eles tenham casado Oliver e Nyssa. E não, ele não é marido dela, pronto.

Oliver querendo apressar o casamento....



Eu sei, eu sei que a cena foi linda e não tem como não achar maravilhoso tudo o que tem Stephen e Emily sendo perfeitos como Oliver e Felicity, mas o que está por trás de tudo é o que me chateia.

Oliver está escondendo da mulher que ele tanto ama uma informação que agora, seus dois maiores inimigos têm e usarão contra ele. E isto vai destruir a confiança que ele e Felicity construíram como parceiros, amigos e casal desde aquele "Felicity Smoak. Hi, I'm Oliver Queen". E isto é a pior coisa que poderia acontecer.

Eu acho um retrocesso no desenvolvimento do personagem o uso desta trama. Os autores definitivamente estão querendo audiência e drama, porque isto é televisão, mas eu continuo detestando. Até entendo Oliver não ter contado na hora, dou um desconto, mas assim que eles voltaram de Central City, naquele dia, ele deveria ter se aberto quando Felicity novamente perguntou o que estava acontecendo.

Ele tem mentido para ela diariamente. Em sã consciência. Com convicção. Porque tem visitado o filho, tem estado com ele e para isto tem escondido dela aonde vai, onde está. E cada cena em que ele mente para ela, eu fico mais e mais chateada.

Para complementar o que eu disse acima, deixo parte de uma resposta de Laura Hurley (original aqui), que escreve sobre séries e é uma das minhas preferidas.

"I am indeed concerned that the baby mama drama isn’t going to be presented on screen as a transgression to the degree that I’m considering it. Nothing that I’ve seen makes me believe that Oliver is fighting for anything. He’s sneaking and lying and hiding. There’s no honor in that. He’s taking the path of least resistance, and it’s the most cowardly thing that I’ve seen him do since the island. Does he think that Felicity is never going to find out? 

This might be an unpopular opinion, but I don’t think that Oliver should have immediately prioritized meeting William over remaining honest with Felicity. I know that parents usually put their children ahead of everything else, but Oliver didn’t know William. He hadn’t seen Samantha in nearly a decade. He has to know by now that he makes terrible emotional decisions on his own. There was no rush. Oliver should have told Felicity.  

This plot is the worst."

Malcolm x Oliver

Sei lá, não gostei do jeito que as coisas foram feitas. Agora Merlyn se aliou a Damien Darhk, contou a ele que Oliver tem um filho e ainda está em poder das cinzas de Vandal Savage.

Não gosto de Malcolm. Nunca gostei. Não confio nele e o fato dele ainda existir na série me incomoda, porque tudo de errado que acontece ali começou com ações dele. A verdade é que amo John Barrowman, mas Malcolm já deveria ter sido eliminado da série há tempos.

Felicity x o pai

Isto vai dar merda! Só isto que tenho a dizer. Ele vai se vingar e feio pelo fato de ter sido entregue à polícia.

****

Bom, é isto. Resumindo, poderia esquecer este episódio. Não gostei.

Kisses, Ludy

4 de fevereiro de 2016

Arrow - 4x12


Putz! Como é boa a sensação de semana após semana ver que esta temporada de Arrow está uma delícia de se assistir. #estouadorando

Mesmo quando eu fico irritada (aquele horrendo 4x08), ainda me sinto infinitamente melhor do que me senti na segunda parte inteira da season 3.

Então vamos falar sobre o episódio de ontem de Arrow, que levou o nome de "Unchained". E eu adorei!


Roy Harper

OMG!!!!!! Eu amei tudo tudo tudo desta volta do Roy!!!! Que saudade imensa que eu estava de vê-lo junto novamente com o Team Arrow!!!! Como ele faz falta para a gente, para o time, para a Thea, para a história. Como Oliver falou: "You've been missed!"

A interação dele com todo mundo, mas especialmente com Oliver e Thea, foi algo lindo de se ver. E infelizmente, a sensação que eu tenho é que depois deste episódio, ele voltou para encerrar o capítulo dele em Arrow, o que me faz colocá-lo em primeiro lugar na lista para estar naquele túmulo.

Estou arrasada, porque eu não considerava esta possibilidade uma vez que ele está fora da série, não achava que os autores poderiam trazê-lo só para matá-lo, mas assistindo ao episódio de ontem várias coisas fizeram sentido. 

Ele é amigo de Barry (o que justifica a presença no cemitério), a morte dele causaria toda aquela raiva e o desejo de vingança em Felicity, afetaria a todos no Team Arrow, além é claro, do que ele falou ao time na hora de ficar para explodir a bomba (It's my choice, it's my life), o que daria a Oliver o sentimento de responsabilidade, não de culpa, já que a escolha desta vida foi de Roy.

Por isto, terminei este episódio com a sensação de que infelizmente, da próxima vez que Roy Harper aparecer em Arrow, será a última.


Theroy

Coisa mais linda do mundo as cenas de Roy e Thea durante o episódio. Sendo a que segue abaixo a mais linda.


Gente, a dor de Roy nesta cenaa foi tão de verdade!!! Colton e Willa arrasaram!!! Impossível a gente não reviver a história dos personagens nestes 4 anos.

Malcolm, Nyssa e Tatsu

Aposto que a frase de Malcolm para Oliver "algumas vezes o maior ato de amor é não fazer nada a respeito", vai voltar quando Olicity terminar no episódio 15. #jáestousofrendo

Adorei ver Nyssa e Tatsu de volta e fiquei com medo de vermos Katana morrer, já que a personagem também está no filme do Suicide Squad. Já perdemos Deadshot e Amanda Waller, o que tenho certeza, está ligado a este fator do universo DC no cinema. Pelo menos desta vez eles deixaram a Tatsu continuar. Ou foi o que ficou implícito né?

The Calculator

Foi bacana ver que agora teremos esta história do pai da nossa hacker preferida sendo desenvolvida. É algo que eu esperava e confesso, estou curiosa para ver como vai rolar o relacionamento de Felicity e seu pai.

Curtis Holt

Como ele é adorável!!! Todas as cenas com Felicity e a forma como ele a inspirou. Fico feliz que ela tenha um amigo como ele.

Momentos adoráveis

Olhem bem para estes dois!!!! Amo demais!!! Pequenos detalhes que fazem toda a diferença no casal, na parceria que eles formam.



E isto? Como a gente sobrevive a tanto bromance?!



O que eu não gostei

Flashbacks

Sempre detestei a Shado e tê-la de volta nas alucinações de Oliver e ainda por cima dizendo que ele ama a Taiana?! De onde veio esta loucura?! Esta ilha é uma palhaçada de muito mal gosto.

A história do filho

Com todas as minhas forças, desde que este plot surgiu no crossover do ano passado eu sabia que me irritaria. Tenho horror tremendo da forma como isto vem sendo desenvolvido. E ver Oliver falar sobre as indas e vindas a Central City fez meu estômago embrulhar, porque me faz relembrar o que ele está escondendo de Felicity e que isto vai acabar com o relacionamento deles. 

O regresso no desenvolvimento do personagem de Oliver com esta história é de me tirar do sério.

****

Bom, acho que era isto por hoje. Semana que vem teremos os desdobramentos da proposta de Nyssa para Oliver sobre como salvar a vida de Thea.


Kisses, Ludy

29 de janeiro de 2016

Anglophile

Eu!!!! ;)


Kisses, Ludy

A quick look at Finland's Maternity package

Para quem não sabe, na Finlândia, o governo envia a todas as mães, uma caixa de papelão com produtos para o bebê, além de roupas e brinquedo, assim que a criança vem ao mundo.

O chamado kit maternidade é um direito adquirido da sociedade e começou na década de 1930 (leiam mais aqui). Muito legal.

Abaixo eu deixo um vídeo sobre o que vem nesta caixa.



Kisses, Ludy

Arrow - 4x11


E novamente eu me atrasei com o post de review de Arrow!!!!

Desculpem-me, mas desta vez foi porque eu fiquei tão em êxtase com o episódio que quis aproveitar o dia seguinte para ler tudo que poderia e só então vir aqui para escrever as minhas impressões.

Vamos para a brincadeira então, porque o episódio foi simplesmente MARAVILHOSO!!!!


Sinceramente! Quando acabei de ver "AWOL" na quarta-feira à noite eu estava como no gif abaixo.


Amei o episódio! Foi perfeito! Definitivamente! Eu tinha achado que "Lost Souls" havia sido o melhor episódio desta temporada, mas acho que "AWOL" conseguiu superá-lo.

E por qual motivo: OTA!!! Episódio focado em Oliver, Felicity e Diggle sempre rende as melhores histórias. Sempre. Exemplo com o "Restoration", o terceiro desta season, que também focou nos três e está definitivamente entre meus preferidos deste ano.

É difícil compartimentalizar este episódio, mas vamos lá...

John e Andy Diggle

Pela primeira vez na temporada eu me importei com os flashbacks. #finalmente 

Assisti mesmo, com vontade, prestando atenção porque a história se fez relevante para gente. Saber mais sobre o passado de John e como era sua relação com Andy foi bacana demais.

Além disto, tudo o que se referiu aos dois durante todo o episódio foi excelente. Eu sinceramente confesso que achei que mais uma vez, Andy trairia John, mas fui surpreendida.


Só que embora as coisas tenham acabado da forma mais feliz ever, com Andy indo jantar na casa de John e conhecendo a fofura que é a sua sobrinha, Sara, confesso, ainda estou com medo de Andy aprontar alguma. Não sei não...

Dyla

Olhem bem para isto!!!! Coisa mais linda do mundo que são John e Lyla, amo de paixão!!!


Eles são o um dia, Oliver e Felicity serão. Adoro demais e não poderia deixar de mencionar que ter Lyla de volta foi uma das melhores coisas do episódio. E acho que agora ela voltou de vez.

Ação na ARGUS

Outra razão para ter amado o episódio: as sequências de ação de Arrow são fodásticas!!!


Juro para vocês!!! Fiquei sem desgrudar os olhos da tela do computador durante toda esta cena de ação. #perfeita #amei #badass

Gente, e a morte da Amanda Waller?! Fiquei cho-ca-da!!!! Não esperava mesmo!!!! Ela era uma bitch, mas não gostei que a tenham matado, ainda mais porque a gente sabe que (no fundo) esta morte tem a ver com o fato de Suicide Squad estar chegando nas telonas e a DC está sendo chata e tirando os personagens do filme que estavam em Arrow. #nãogostei

Por que tiram os de Arrow? The Flash estará nos dois universos e a DC não vê problemas nisto né?! #sei




Oliver e Laurel

Não, eu não estou delirando. Sim, eu gostei de uma cena dos dois. Principalmente porque pela primeira na vida de Oliver (acho, não me lembro de outra), ele finalmente confidenciou a Laurel, algo que ainda não tinha dito a ninguém, o fato de Barry poder viajar no tempo. E a reação de Laurel... hahaha... adorei!


Fora que... chega né? Será que ainda não ficou claro que não existe MAIS NADA de romance entre estes dois? Na verdade, desde a season 2 que não há mais nada. Os autores já deram provas e mais provas que Oliver e Laurel serão amigos, parceiros na luta contra o crime, mas nada além disto.


Séries de TV são obras abertas, e o que não dá certo eles resolvem mudar, porque assim são as coisas quando se trata de televisão e dramaturgia. A ação e reação é instantânea e se algo não for feito rápido, já era. Seriados (especialmente os de super-heróis) não são cópias fieis dos quadrinhos, eles o usam como fonte para escrever a série. #ponto

Algumas coisas que vêm dos quadrinhos dão super certo, outras não. Black Canary e Green Arrow funcionam como parceiros na luta contra o mal, mas não serão casal em Arrow. Quem estiver insatisfeito é só ficar com os quadrinhos.

Felicity Smoak

Confesso que a forma como os autores tratariam a paralisia da Felicity me preocupava. Não queria de jeito nenhum que a personagem sofresse como na temporada passada e fosse culpada de tudo, quando na verdade, ela apenas reagia ao que acontecia ao seu redor.

Mas gostei da forma como tudo aconteceu neste episódio. Ela lutou contra a sensação de desespero, tristeza, desânimo e depressão que tomou conta dela e conseguiu se reencontrar. Conseguiu entender que sua nova condição física não tira dela a heroína que se tornou desde que começou a fazer parte do Team Arrow!!!

Oliver Queen

Olhem bem para os olhos deste homem e me respondam: Felicity Smoak é a razão dele viver ou não?



A culpa que Oliver vinha carregando dentro de si e o que o levou a ficar longe dela no episódio passado, enquanto corria atrás de Damien Darhk procurando revanche pela maldade que ele fez com Felicity, está nas lágrimas dele nesta cena. #meucoraçãoaperta

A forma como ele sequer consegue encará-la com firmeza nos três primeiros gifs ao ouvir Felicity dizer que nenhum dos dois têm culpa no que aconteceu. E na última imagem o sorriso doce que ele oferece a ela, ainda que em meio à dor e ao alívio, finalmente aceitando a situação. 

Como ainda podem achar que este homem não a ama o suficiente? Que ela não é a mulher da vida dele? Como ainda há dúvidas quando os olhos dele dizem o contrário? Quando tudo o que ele faz prova exatamente o oposto?

E para encerrar, Stephen Amell simplesmente arrasou nesta cena sem quase falar nada. Foi perfeito, perfeito, perfeito. O sentimento de Oliver é tão real que é impossível a gente não se emocionar.


Olicity

Deixe por último o que mais amo porque sinceramente, o que mais tenho a dizer sobre Oliver e Felicity? A forma como Oliver esteve lá por ela durante todo o episódio, a maneira como ela encontrou (mesmo em seu momento mais difícil) de mostrar a ele que vencerão isto juntos, e no final (na cena do quarto deles) aquele momento de cumplicidade e de esperança, mesmo sabendo da dificuldade do que enfrentarão. Tudo isto me deixou encantada. 

Sinceramente, Stephen Amell e Emily Bett Rickards fazem de Oliver Queen e Felicity Smoak o que são porque não existe no mundo, química como a que vejo entre este dois. E olha que já vi séries para caramba nesta vida hien?!

É fácil para os dois atores interpretarem estes personagens porque ambos os entendem tão bem e sabem exatamente como a dinâmica entre o casal deve ser. Eu simplesmente sou apaixonada pelo que Stephen e Emily fazem quando dividem cenas juntos. #perfeiçãodefine


O que faltou falar...

O codinome da Felicity: Overwatch. O que na hora me fez lembrar de Watchtower, da Chloe Sullivan, de Smallville, que também era a namorada de Oliver Queen/Green Arrow. #adorei

Delicity... que amor gente!!!! Quero mais disto, muito mais!!!


Fofura, muita fofura....


****

Ufa!!!! Finalmente terminei! Acho que foi o episódio sobre o qual mais escrevi. hahahaha... Também, gostei de tudo!!!!!

Semana que vem teremos Roy de volta e a chegada do pai da Felicity. Tem tudo para ser um ótimo episódio!




Kisses, Ludy